Além de um estilo saudável de vida, as emoções do ser humano, também têm um impacto significativo no bem-estar do indivíduo. De fato, as emoções positivas são fundamentais para a manutenção da saúde física de todas as pessoas e, de acordo com vários estudos realizados, os pensamentos negativos ou a depressão podem afetar de forma prejudicial à saúde. As emoções positivas diminuem elestrés e acredita-se que estas podem evocar respostas de comportamentos saudáveis nas pessoas, tais como não fumar ou beber ou torná-los mais propensos a fazer exercício e manter uma dieta saudável. Também podem dar origem a respostas fisiológicas benéficas, como a melhora da qualidade do sono, possuir níveis mais altos de antioxidantes ou colesterol bom. Em um importante estudo canadense de 2004, os pesquisadores examinaram nove dos principais fatores de risco para doenças do coração, como o tabagismo, a obesidade e falta de exercício. Detectou-Se que a angústia, o trabalho ou a família, em parceria com um grande risco de ataque cardíaco, que as pessoas com depressão clínica tinham um risco de 2,7% maior de sofrer de uma doença cardíaca e as pessoas menos otimistas tiveram uma progressão mais rápida da aterosclerose. Um estudo realizado em 2007 sugere que os indivíduos com a vitalidade emocional tinham um risco 20% menor de doenças cardíacas, em comparação com aqueles que não têm. As emoções positivas estão proporcionando uma espécie de biologia de restauração no corpo. Há que se destacar a importância de ser capaz de se autorregular as emoções para poder enfrentar os desafios e recuperá-los, pensar positivo e superar os maus momentos, assim como ajudar as crianças a desenvolver este tipo de resistência, já que é a chave para se certificar de que obtém o caminho certo para uma vida saudável desde a infância. Para isso seria importante introduzir a aprendizagem das emoções no colégio. Nossas companheiras de Coisas de educação ter escrito um artigo interessante sobre isso: Aprendizagem emocional na sala de aula