Os olhos vermelhos ocorrem quando os pequenos vasos sanguíneos se ampliam e congestionam na superfície do olho (esclerótica). Ocorre como resultado de um fornecimento insuficiente de oxigênio para a córnea ou os tecidos que cobrem os olhos. Não costuma ser um sintoma isolado, mais bem é o resultado de uma outra condição, com sintomas como dor, coceira, inflamação, dor de cabeça ou de pescoço, olhos secos, dores de estômago, alergias ou inchaço dos pés ou mãos. O sono, apnéia do sono, álcool, dieta, produtos cosméticos utilizados por a noite e a diminuição da secreção canto interior do olho durante a noite, fazem com que os olhos aparecem vermelhos pela manhã, em troca, os olhos podem aparecer vermelhos à noite, devido às toxinas ambientais, exposição ao sol, vista forçada, fadiga, fumo do cigarro, vapores químicos ou uso de lentes de contacto. Podem aparecer vermelhos também devido a outras causas, como alergias,doenças hepáticas, estresse ou ansiedade, para citar algumas. Os remédios à base de plantas e homeopáticos são suaves, e podem ser de grande benefício na promoção de uma visão saudável. O arándanoayuda para facilitar a entrega de oxigênio e nutrientes essenciais para o olho, o Rooibos é um tônico maravilhoso para o sistema imunológico e "Sutherlandia frutescens", conhecido como o arbusto do câncer, que tem efeitos antioxidantes e propriedades adaptogénicas, promovendo, assim, a saúde dos olhos. Para evitar e tratar os olhos vermelhos, é importante manter uma dieta saudável, beber muita água, frutas frescas, especialmente ricas em flavonóides, como os mirtilos, amoras e cerejas, frutas e legumes, cereais e legumes, Estévia, ácidos graxos essenciais presentes no peixe, as castanhas e os vegetais de folhas frisadas, em especial, espinafre e folhas de mostarda e alimentos ricos em cálcio, magnésio e vitamina D, óleo de linhaça, alga Espirulina, cevada e azeite de oliva. Devem-Se evitar a margarina e outras gorduras hidrogenadas, produtos lácteos, especialmente queijos duros, gorduras saturadas, sal refinado, água com cloro, aditivos alimentares, como o aspartame ou glutamato monossódico, açúcar e alimentos com adoçantes, óleos refinados, frituras e defumados, bebidas alcoólicas e bebidas carbonatadas e educoradas. Fonte Imagem: sxc.hu/milan6