A Confederação Brasileira de Futebol suspendeu todos os seus torneios, devido à pandemia do coronavírus, uma medida que o presidente Jair Bolsonaro considerou uma amostra de "histeria".

Os torneios afetados incluem a Copa do Brasil de homens, as duas máximas divisões do campeonato brasileiro de mulheres e competências de nível júnior.

O início do Brasileirão, está programado para abril.


A decisão não afeta os torneios estaduais que disputam atualmente. Alguns jogos foram realizados sem fãs esta semana em São Paulo e Rio de Janeiro. As autoridades do futebol a nível estadual, incluindo as de São Paulo e do Rio, decidirão segunda-feira que medidas tomadas contra o surto de um vírus que foi detectado o primeiro na China.

Jogadores do clube brasileiro Grêmio realizaram um protesto por conta própria contra a realização de jogos, portando cubrebocas para seu encontro diante de São Luiz, no domingo, na segunda fase do Campeonato Gaúcho.

Jogadores e comissão técnica do Grêmio entraram com cubrebocas para a quadra de seu estádio na cidade de Porto Alegre para o duelo pelo torneio do estado do Rio Grande do Sul.

O duelo, que o Grêmio ganhou por 3-2, feita a portas fechadas.

Em contrapartida, Bolsonaro declarou seu descontentamento com a suspensão dos torneios.

"Quando se proíbem os jogos de futebol, entre outras coisas, ele cai na histeria, a meu entender, e eu não quero isso", disse Bolsonaro aos meios de comunicação locais. "A CBF, que vai se reunir amanhã, pode, em qualquer caso, vender apenas uma parte das entradas, levando em conta a capacidade da arquibancada, e não adiantar-se a simplesmente proibir isto ou aquilo, porque não vai cancelar a conter o vírus".

No domingo, Bolsonaro participou em eventos que reuniram milhares de pessoas, apesar de todas as recomendações que ela ficasse isolado pelo risco de contágio. Várias pessoas que viajaram com o presidente brasileiro aos Estados Unidos na semana passada, deram positivo de COVID-19.

Bolsonaro disse sexta-feira que deu negativo.