Como acontece com qualquer outro músculo do corpo, o coração precisa de descanso depois de realizar qualquer tipo de atividade intensa ou de ter sofrido uma doença. Deste modo, o repouso seria fundamental para recuperar um coração que tenha sido danificado por uma doença, como pode ser uma insuficiência cardíaca. É a principal, e reveladora, conclusão que se pode extrair de um estudo realizado em ratos, no Imperial College de Londres, e que foi publicado no European Journal of Heart Failure. Deste modo, ao contrário do que se pensava até agora, o descanso pode reverter o dano causado pelas insuficiências cardíacas nas células musculares, para que os efeitos não são permanentes e podem ser revertida. Trata-Se de um revolucionário descoberta que pode abrir uma nova via para o desenvolvimento de novos tratamentos para a insuficiência cardíaca. Há que ter em conta que esta doença é uma das mais comuns, incapacitantes e mortais. Caracteriza-Se pela incapacidade do coração para bombear o sangue em níveis necessários para atender as demandas do metabolismo. Como consequência, pode provocar um ataque cardíaco. Esta patologia afeta entre 1 e 2% da população com mais de 40 anos e em 10% das pessoas com mais de 60 anos. O prognóstico da insuficiência cardíaca severa não pode ser mais assustador, já que provoca a morte no primeiro ano em uma alta porcentagem dos casos. É por isso que o desenvolvimento de novos tratamentos mais eficazes pode salvar a vida de milhões de pessoas a cada ano. A nova pesquisa parte da idéia básica de que, quando se coloca qualquer músculo, deixamos que se recupere em paz. Este estudo tenha aprofundado a análise dos mecanismos que ocorrem nas células musculares do coração, quando ocorre a insuficiência cardíaca. Ao contrário de outros músculos, o problema vem dado, porque o coração não pode descansar, pelo que a colocação de dispositivos de assistência temporários ajudariam a reduzir a carga sobre o coração, sem que se reduza o fornecimento de sangue ao corpo. Isso contribuiria para que o coração a fará um menor esforço e, por isso, se possa recuperar. Os pesquisadores comprovaram em seus experimentos com ratos que as mudanças que se haviam dado na estrutura das células musculares de um coração corrompido, inverteram-se. Trata-Se da primeira vez que se demonstra que o processo provocado por uma insuficiência cardíaca é reversível. O reso que têm pela frente os pesquisadores a partir de agora é descobrir os mecanismos moleculares de tais mudanças, o que permitiria induzir a recuperação sem a necessidade de implantar um dispositivo assistencial no coração. Link: European Journal of Heart Failure