Embora possamos encontrar algumas opiniões contra, mais baseadas em certa moralidade que em dados científicos, o preservativo sim que protege do contágio de HIV-Aids. O que devemos ter em conta, antes de tudo, é escolher corretamente o preservativo e que este cumpra todos os critérios necessários. Para que o preservativo seja eficaz deve cumprir rigorosamente todos os critérios de qualidade, não se deve poupar na hora de comprá-los, não escolher marcas que não nos dão a confiança necessária ou que não tenham superado todos os controles de qualidade. O preservativo deve ser usado em cada relação sexual, e você tem que jogá-lo sempre, não pode ser reutilizado em qualquer caso. Devemos colocá-lo de forma adequada para evitar a quebra ou escorregar e sair enquanto se realiza a prática sexual que causa em cada caso. Se, por um acaso, nos damos conta de que o preservativo se rompeu ou foi lançado o mais importante é manter a calma, parar a relação e avaliar os danos. Se o preservativo foi movido ou está quebrado, mas não houve ejaculação, o risco é mínimo. Deve-Se retirar o preservativo e colocar um novo nesse caso. Os preservativos devem ser usados em todas as relações sexuais, anais, vaginais e orais. No caso do sexo oral, se este se realiza para mulheres você pode cortar o preservativo e usá-lo como um quadrante de latex. Uma coisa importante que devemos ter em conta é a conservação adequada. Os preservativos que estão muito tempo em um bolso ou em uma bolsa, pode ser que se tenham danificado. A certa temperatura é muito importante e se lhe dá o calor, ou ocorrem mudanças de temperatura, é possível que se tenha prejudicado. Confira a data de validade e usa o preservativo antes do contato, não te ponhas apenas no último momento, deve-se levar durante toda a relação sexual. Se você seguir todas as dicas de uso do preservativo se proteger do HIV, além de fazê-lo de outras doenças sexualmente transmissíveis e de gravidez indesejada. Fonte Imagem Flickr