Muito ao contrário do que se pensava até bem pouco tempo atrás, o câncer pode ser uma doença transmissível, em alguns casos. Assim o apontam novos estudos, demonstrando que alguns tipos de câncer estariam causados por infecções. O lado positivo desta descoberta é que nestes casos se poderiam colocar meios para prevenir ou tratar estas infecções que causam. De acordo com um estádio realizado por pesquisadores da International Agency for Research on Cancer (Lyon), e publicado na prestigiosa revista médica britânica "The Lancet Infectious Diseases", um em cada seis cancros seria causado por infecções que podem ser tratadas ou prevenidas. Ou seja, quase dois milhões de milhões de cancros diagnosticados por ano estão relacionadas a uma infecção. O estudo aponta que os vírus causadores da hepatite B e C, do papiloma humano, e da bactéria Helicobacter pylori, causando 1,9 milhões de novos casos de câncer. Entre as mulheres, o câncer de colo uterino representa mais de 50% dos cânceres são causados por uma infecção, enquanto que nos homens, as infecções causam principalmente câncer de fígado, estômago e cólon. Há que ter em conta que existem vacinas para os vírus da hepatite B e do papiloma humano, e da bactéria Helicobacter pylory, daí que o pesquisador Martyn Plummer, chefe do estudo, ressalte a importância da prevenção desses vírus para evitar um grande número de casos de câncer. Ao mesmo tempo, é necessário dar a conhecer o conceito do câncer como uma doença transmissível, o que permitirá levar a sério a prevenção e o tratamento das infecções causadas por alguns vírus, bactérias e parasitas, que são fatores de risco muito importantes de câncer. Boa mostra do caráter infeccioso de alguns tipos de cancro, é que os países menos desenvolvidos é onde se registra uma incidência muito maior destes cânceres causados por infecções. A escassez de meios faz com que não se tomem as medidas necessárias para prevenir ou tratar vírus infecciosos.