O consumo de drogas é, sem dúvida, prejudicial, mas, em muitas ocasiões, costuma-se pensar que pelo fato de consumir uma substância de vez em quando os problemas são menores. As drogas têm efeitos muito graves para o nosso organismo a curto e longo prazo. As anfetaminas e outros estimulantes, por exemplo, estimulam o sistema nervoso, eliminando a sensação de fadiga, aumentando o desempenho e reduzindo o apetite. Estes efeitos fazem com que nosso corpo não nos avise quando estamos cansados e precisamos descansar, o que pode provocar um infarto. As anfetaminas podem produzir graves efeitos sobre os consumidores, como insônia, psicose, paranóia ou esquizofrenia. Os fungos ou cogumelos. Seu alto poder alucinógeno que provoca, em muitas ocasiões alteração da realidade com um grande risco de que se produzam acidentes. Seu consumo pode causar náuseas, tonturas, alucinações, danos no cérebro e até a morte por intoxicação. No caso da maconha, seus efeitos colaterais a curto prazo baseiam-se na diminuição do sistema de acionamento, perda da capacidade de raciocínio e a pouca coordenação. A longo prazo pode causar uma alteração da realidade e perda de memória. Outro tipo de drogas estimulantes, como a cocaína ou a heroína provocam, além disso, efeitos muito graves de dependência a curto prazo, o que faz com que em um pequeno espaço de tempo da pessoa que as consome perder o controle de sua própria vida, chegando a ter graves problemas sociais e econômicos, além dos problemas de saúde. Consumir drogas, ainda que seja muito de vez em quando, põe em risco a nossa saúde física e mental.Se nos damos conta de que temos uma dependência, por pequena que seja, devemos nos colocar nas mãos de profissionais que nos ajudam a seguir um tratamento adequado. Não se deve ignorar o consumo, por menor que seja, já que, a longo prazo, pode gerar uma situação de completa dependência. Fonte Imagem ThinkStock.