O menisco, situa-se entre as superfícies da cartilagem do osso para distribuir o peso e melhorar a estabilidade da articulação. As duas causas mais comuns de uma lesão de menisco, se devem a uma lesão traumática ou a um processo degenerativo. O mecanismo mais comum de um rompimento do menisco traumático ocorre quando a articulação da rodillaestá dobrada e joelho se torce. É frequente que o rompimento de menisco ocorre junto com as lesões do ligamento cruzado anterior e o ligamento colateral medial, formando o que se conhece como a "tríade infeliz", que vê os jogadores de futebol, quando o jogador é atingido na parte externa do joelho. Os sintomas mais comuns de um rompimento do menisco são: dor de joelho, inchaço, sensibilidade ao pressionar no menisco, bate no joelho e limitação do movimento da articulação do joelho, assim como também a incapacidade para endireitar completamente a articulação. Os testes mais comuns, usadas em pacientes com ruptura de meniscos, que são os raios X, para determinar se há alterações degenerativos ou artríticas e a ressonância magnética, para visualizar o estado dos meniscos. O tratamento para a ruptura de menisco, não é específico, depende de vários fatores, como nem todos os rasgões requerem cirurgia. Quando há rompimento de menisco, o tratamento depende de vários fatores incluindo o tipo de ruptura que se trata, o nível de atividade do paciente, e a resposta às medidas simples do tratamento. Quando se necessita de tratamento cirúrgico de uma lesão de menisco, o tratamento habitual consiste em cortar a parte danificada do menisco , um procedimento chamado meniscectomía, mesmo que a reparação do menisco e transplante do mesmo são também outras opções de tratamento cirúrgico. Fonte Imagem: USP Hospitais/flickr